Versão Português youtube home

Companhia Textil de Castanhal

News

back

CASTANHAL LANÇA JUTA COLORIDA E ENGOMADA NO SALÃO INSPIRAMAIS
10/01/2013

Mais de cinco mil visitantes devem marcar presença na feira que mostra as principais tendências no mundo dos calçados, acessórios e confecções

 

A Castanhal, maior fabricante de produtos de juta das Américas, lança o fio de juta colorido e engomado no 7º Salão Inspira Mais - Salão de Design e Inovação de Componentes, evento que mostra as tendências e antecipa novidades do Verão 2014 para o setor de calçados, confecções e acessórios.

Além de mostrar o tradicional fio de juta rústico e cru, o estande da Castanhal contará com o lançamento dos fios de juta coloridos e engomados – estes produzidos com goma de tapioca. Além de 100% naturais e biodegradáveis, os produtos da Castanhal são de excelente qualidade, durabilidade, possuem grande estoque e pronta entrega.

O Salão Inspira Mais recebe cinco mil visitantes e é a inspiração para estilistas, estudantes de moda, decoradores e o público apaixonado por novidades em tecidos, panos, cabedais, solados, materiais sintéticos, acessórios e aviamentos.

O evento acontece nos dias 16 e 17 de janeiro no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, em São Paulo.


Juta, a fibra sustentável
A juta é uma fibra natural trazida do Oriente e cultivada principalmente nas áreas de várzea dos Rios Solimões e Amazonas. São áreas nas quais o ciclo anual de cheia do rio impede o crescimento natural da floresta ou a prática de alguma cultura permanente.

Como os terrenos de plantio são pequenos, o cultivo da juta é realizado todo manualmente por famílias de ribeirinhos. Atualmente, cerca de 15 mil famílias nos Estados do Amazonas e do Pará tem na juta sua única fonte de renda.

Isso faz com que essas famílias de ribeirinhos não precisem se envolver em atividades que agridam a Floresta Amazônica, como a caça e a pesca ou o trabalho em grandes plantações que provocam queimadas e desmatamentos. A alternativa de renda gerada por essa cultura também ajuda a fixar o homem no campo e evita o êxodo dos ribeirinhos para engrossar as favelas e periferias das grandes cidades da Região Norte.


O cultivo
O plantio da juta é realizado nas margens dos Rios Solimões e Amazonas no início da vazante. Não é necessária queimada ou qualquer outra técnica para limpar o terreno, à medida que a cheia do próprio rio se encarrega disso. A lama deixada após a vazante serve de fertilizante natural e torna desnecessária a utilização de adubos químicos.

A colheita dá-se após seis meses, quando o rio começa a subir e a juta é cortada. A planta precisa ser cultivada perto de água corrente para que possa ser “afogada” por alguns dias e assim ter separada a fibra (que vai virar tecido) do caule.

A Castanhal compra a fibra dos ribeirinhos e a transforma em fios e tecidos em sua fábrica na cidade de Castanhal, no interior do Pará. No processo de transformação são utilizados apenas aditivos orgânicos e os óleos vegetais. Isso, associado às características naturais da planta, faz com que os produtos de juta sejam totalmente biodegradáveis. Ou seja, quando envelhecem, perdem seu uso e são descartados, se desintegram completamente em menos de um ano sem deixar qualquer resíduo ou dano ambiental.

Graças a esse processo de produção, realizado de forma social e ambientalmente correto do plantio ao descarte do produto, é que se pode dizer que os produtos de juta são uma das opções mais ecológica disponíveis hoje, já que além de serem retornáveis também são biodegradáveis.