BLOG
Sedeme e Companhia Têxtil de Castanhal devem impulsionar produção de malva e juta no Oeste do Pará

Fique por dentro das novidades e lançamentos da Castanhal.

Projeto também prevê a introdução de inovações tecnológicas no processo de cultivo


A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e a Companhia Têxtil de Castanhal (CTC) trabalham para que seja alavancada a produção de malva e juta na região Oeste do Pará. Na última quarta-feira (8), em Óbidos, uma reunião com produtores e representantes do setor produtivo local marcou o início das tratativas para a retomada da produção das sementes que dão origem à fibra natural utilizada para a produção de itens utilizados em aplicações de gesso na construção civil, chapelaria, decoração, artesanato, curtumes e proteção de pisos e taludes, embalagens e diversos outros.

O cultivo, que já foi muito forte naquele município, atualmente não é mais significativo, demandando portanto, ações de incentivo à retomada dessa produção. Atualmente, o principal município fornecedor de matéria-prima para a CTC é Alenquer, que, nos últimos três anos, forneceu 20 toneladas das sementes, quantidade ainda insuficiente diante da demanda da empresa, que acaba recorrendo ao Bangladesh, na Ásia, para ter garantida a quantidade de juta e malva necessários para a fabricação de seus produtos, investindo cerca de R$40 milhões.

Impulsionamento


Com o seu “Projeto de Agricultura”, a CTC, em parceria com a Sedeme, quer reativar o plantio das fibras e sementes no município de Óbidos para que a localidade possa voltar a ser um importante produtor e fornecedor da matéria-prima. A iniciativa conta com investimentos superiores a R$296,3 mil, dando início à formação de 16 hectares de área plantada para sementes de juta e outros 40 hectares de área plantada para semente de malva na região Oeste.

O projeto conta ainda com outros polos, no Marajó e na região Bragantina, e também prevê a introdução de inovações tecnológicas no processo de cultivo, com equipamentos que permitirão a colheita de forma mecanizada e aumentando o aproveitamento das áreas de extrativismo.


“Esse momento significa muito para nós porque estamos tendo a oportunidade de relançar no Baixo Amazonas, hoje em Óbidos em específico, a proposta de produção de fibras naturais de juta e de malva, incluindo o plantio. E para isso, contamos com a presença de parceiros importantes aqui, como a Emater, Banpará, falando sobre linha de crédito, além da Sedeme. Queremos aqui garantir toda a compra das sementes de fibras e isso é fundamental para alcançarmos o nosso objetivo principal que é obter a autossuficiência na produção de sementes de fibra natural no estado do Pará. Queremos fazer decolar essa produção”, explicou Robson Torres, do CTC.

Carlos Ledo, secretário adjunto da Sedeme, explica o papel da Secretaria na ação e os objetivos pretendidos. “Este é um grande polo da cultura da malva e da juta no Pará e, portanto, nós estamos buscando a retomada disso por meio da CTC, garantindo o fortalecimento e todas as condições para que isso aconteça e gere mais emprego, renda e desenvolvimento não apenas para Óbidos mas para toda a região Oeste do Pará. A Sedeme está aqui reforçando essa articulação, trazendo informação sobre 'Crédito do Produtor', que é uma linha de financiamento gerida por nós, além de também atuar institucionalmente junto a outros órgãos do governo para ajudar a viabilizar o projeto”, disse.


Para o secretário de governo da prefeitura de Óbidos, João Andrade, a visita do governo significa uma nova oportunidade para os produtores locais.

“Essas visitas do Governo do Estado são muito bem vindas e estão sendo muito proveitosas e com relação a essa cultura da juta e da malva, que está sendo retomada agora, trata-se de uma nova oportunidade para o agricultor, uma inclusão da cadeia produtiva dele, uma vez que permite a diversificação para que ele não fique apenas na monocultura, com açaí e mandioca por exemplo. Nós, da Prefeitura, iremos apoiar através da secretaria de agricultura pois já estamos fazendo um trabalho por meio do CAR, assistência técnica e de orientações, portanto a nossa expectativa é grande”, afirmou.

Presidente da Associação Comercial de Óbidos, a contadora Jeane Santos elogiou a iniciativa e disse que o projeto poderá ajudar a gerar mais emprego e renda no município. “Esse evento é fantástico porque já não ouvimos falar sobre a juta há bastante tempo aqui em Óbidos, algo que antes era muito presente inclusive com empresas que trabalhavam com isso aqui. Hoje temos muitos produtores, áreas ociosas e portanto essa vai ser uma oportunidade para eles agregarem mais na economia local e, com isso, gerando emprego e renda, então isso vai ser uma ajuda para todos”, explicou.

Sobre a CTC


Criada em 1966, a Castanhal é a maior fabricante de artigos de juta das Américas, tendo como principais produtos as sacarias para café, telas de artesanato, chapelaria e decoração, fios para tecelagem, indústria de calçados, armarinhos e para tabaco. Atualmente, conta com mais de 1,3 mil colaboradores que produzem mais de 10 mil toneladas de fibras por ano.

Incentivada pelo governo do estado, via Sedeme, a Companhia Têxtil também é parceria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico na realização de cursos para a produção de itens artesanais a partir da juta, uma iniciativa que faz parte do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

A agenda da Sedeme e da CTC no Oeste do Pará seguirá, nesta quinta e sexta-feira, com visitas de campo aos às áreas de cultivo e produção de malva e juta de Alenquer.

Fonte:
Por Igor Nascimento (SEDEME)

Produtos relacionados
Juta Cardada
Fios de Juta
Telas de Juta
Sacaria
Fique
por dentro
das novidades

Cadastre-se e receba as novidades da Castanhal em seu e-mail.